A Medicina Tradicional Chinesa Massagem Tui Na

A Medicina Tradicional chinesa (MTC), é a dominação que se dá a um conjunto de técnicas/práticas de medicina tradicional utilizadas na China, e desenvolvidas ao longo de milhares de anos.

É considerada umas das formas de medicina mais antigas do mundo, que originou posteriormente o desenvolvimento de outras medicinas tradicionais como as que hoje são utilizadas no Japão, Coreia, Mongólia e Tibete.
A MTC assenta sobre uma estrutra teórica sistemática de natureza filosófica, incluindo nos seus estudos a relação entre yin yang, teoria dos cinco elementos, e o sistema de circulação de energia (Qi) nos meridianos do corpo.
As leis fundamentais que governam o funcionamento do organismo humano e a sua interação com o meio ambiente segundo os ciclos da natureza, foram estudados e observados durante milhares de anos pelos chineses, permitindo agora que esta compreensão possa ser aplicada quer no tratamento, quer na prevenção de doenças.

A Medicina Tradicional chinesa é então constituída por sete técnicas específicas: 
– Acupunctura, Massagem Tui Na, Moxabustão, Ventosoterapia, Fitoterapia Chinesa, Dietética Chinesa; Qi gong e Tai Ji Quan.
O tratamento de MTC é aplicado de acordo com o diagnóstico holistico realizado, que tem por base a avaliação de sintomas de lato valor semiológico e a teoria básica chinesa que define os diversos distúrbios energéticos que o organismo pode manifestar. Desta forma, podem ser escolhidas as técnicas necessárias para o tratamento, bem como os pontos de acupunctura específicos que se localizam nos meridianos, com o objetivo de repôr o equilíbrio energético alcançando os efeitos terapêuticos desejados.
Através do diagnóstico conseguimos obter um tratamento específico para cada paciente, aumentado a eficácia terapêutica. Embora possam surgir dois pacientes com o mesmo diagnóstico halopático o seu tratamento não será igual ao nível da MTC.

Esta, é uma medicina que pode ser aplicada numa grande variedade de patologias, não tendo grandes limitações, pois não segue a classificação de doença da medicina halopática, procurando em cada paciente o distúrbio energético que o afeta fisiologicamente e atuando de acordo o com mesmo.

Acupunctura:
A acupunctura é um método que consiste na inserção de agulhas metálicas filiformes nos pontos de acupunctura, que se distribuem ao longo dos meridianos, ou em pontos de dor.
Sendo o nosso organismo constituído também por energia (Qi) que circula nos meridianos, podemos ter ação sobre a sua condução através do metal constituinte da agulha. Assim, são selecionados pontos específicos e realizadas manipulações próprias na agulha com o fim de atuar no distúrbio energético apresentado pelo paciente.
A acunpunctura tem vindo a ser desenvolvida ao longo de milhares de anos e é hoje utilizada em conjunto com outros recursos, como o estimulo elétrico, potenciando e determinando a ação sobre o ponto estimulado.

Moxabustão:
Moxabustão significa “longo tempo de aplicação de fogo”.
É uma técnica terapêutica chinesa, com base no sistema filosófico da Medicina Tradicional Chinesa, onde é aplicado calor em pontos ou áreas específicas do organismo, com o objetivo de tratar e prevenir doenças.
A moxa é constituída por folhas de artemisia, que são tratadas e preparadas para aplicação externa no corpo. A artemisia tem diversas propriedades terapêuticas, conseguindo um efeito de aquecimento profundo e prolongado. Promove assim circulação de energia e sangue desbloqueando pontos, áreas ou meridianos do corpo, eliminando também a humidade e o frio, que promovem facilmente bloqueios no organismo.
Muitas das patologias reumáticas que se manifestam no organismo têm origem numa invasão de frio e humidade na articulação/ osso ao longo do tempo que gera dor e limitação do movimento, mas que é possível remover com esta técnica.
Atua num grande leque de patologias, não apenas reumáticas e tendino-musculares, mas também a nível interno assim como problemas digestivos (diarreia, obstipação, dilatação abdominal) ou problemas respiratórios (asma, bronquite crónica, tosse).

Ventosoterapia 
A Ventosoterapia é um tipo de terapia aplicada em diferentes correntes de medicina tradicional. Utiliza uma espécie de copos de bambu, vidro ou plástico, dois quais é retirado o oxigénio através da combustão (bambu e vidro) ou através de uma bomba (plástico). A ausência de oxigénio permite que em contacto com o corpo seja promovida a sucção.
Esta técnica, pode ser utilizada em várias áreas ou pontos de acunpunctura, atuando em todo o tipo de tensão muscular, podendo também ser utilizada noutras patologias como gastrite, artrite, lombalgia, gripe/constipação, redução de celulite e na aplicação de sangrias.

Fitoterapia Chinesa:

A Fitoterapia Chinesa é uma das modalidades da Medicina Tradicional Chinesa, muitas vezes conhecida por medicina herbal. Utiliza plantas ou ingredientes de origem animal e mineral para compôr uma fórmula que actuará especificamente no distúrbio energético apresentado pelo paciente.
Na China são formuladas combinações destes ingredientes especificamente para cada paciente. No ocidente não havendo comercialização individual de todos os constituintes desta modalidade, encontramos fórmulas sob a forma de comprimidos que atuam nos distúrbios energéticos mais comuns.
A Fitoterapia tem a grande mais valia, de poder combinar, para além de fórmulas com plantas com ação específica nos sintomas e distúrbio apresentado, outras plantas que se certificam da minimização dos efeitos colaterais das plantas primeiramente mencionadas.
O conhecimento destas combinações e proporções é fruto de milhares de anos de experimentação e pesquisa tornando-a uma prática muito segura, assertiva e com grandes resultados terapêuticos.

Dietética Chinesa:

A Dietética Chinesa utiliza alimentos naturais para a prevenção e tratamento de doenças segundo a teoria básica chinesa e a classificação dos alimentos segundo a Medicina Tradicional Chinesa.
Os alimentos são caracterizados segundo o seu sabor, temperatura e tropismo no organismo. Estas características foram definidas para cada alimento após vários anos de observação da sua ação no organismo, e não através da sensação física adquirida pelo individuo através do sabor ou sensibilidade táctil.
Assim sendo, um alimento pode ser considerado doce e quente, mas quando o ingerimos não sentimos no palato nenhuma destas características, mas a sua ação/manifestação no organismo revela-se segundo as características do doce e quente.
Futuramente apresentaremos os vários sabores e temperaturas com que os alimentos são classificados na MTC de forma a que haja uma melhor compreensão da dietética chinesa.

Qi Gong:
Qi Gong significa cultivo de energia ou arte de manipular a energia.
É composto por exercícios e posturas que têm a finalidade de estimular e promover a circulação de energia (Qi) no corpo.
É o resultado de milhares de anos de experiência dos chineses no uso da energia para tratar e prevenir doenças, promovendo a saúde e longevidade. Permite também melhorar as habilidades de luta, flexibilidade, meditação e alcançar novos níveis de consciência e desenvolver a espiritualidade.
É uma prática proíbida atualmente na china desde Mao Tsè Tung,mas que ainda hoje é utilizada em alguns mosteiros e hospitais onde se encontram pessoas cujos diagnósticos não têm cura e que se dedicam a prática do Qi Gong para tratar a doença, ou melhorar qualidade de vida, aumentando muitas vezes a esperança de vida prescrita devido à doença.

Tai Ji Quan

O Tai Ji Quan é um estilo de arte marcial, reconhecido como meditação em movimento. Os seus principais princípios filosóficos remetem ao Taoísmo, e alquimia chinesa (tal como a Medicina Tradicional Chinesa).
A relação entre Yin e Yang, Cinco Elementos, Oito Trigramas (Ba Gua), Livros das Mutações (I Ching), Tao Te Ching de Lao Tze são as principais referências para a compreensão dos seus fundamentos.
No ocidente é extremamente reconhecido pela sua relação com a meditação e promoção da saúde, oferecendo aos ocidentais uma referência de tranquilidade e equilíbrio, hoje muito ausente ou dificil de adquirir nas grandes cidades.
Tem um grande ação sobre energia no organismo, atuando sobre as articulações, tendões e músculos, sendo por isso hoje muito utilizada em pessoas da terceira idade.
Atualmente na China é muito mais praticada do que o Qi Gong, por todas as faixas etárias e em todos os locais., onde é frequentemente encontrar-se grupos em espaços abertos e públicos a praticar Tai Ji.

Tui Na:
Tui = Empurrar; e Na = Agarrar
Constituinte da Medicina Tradicional Chinesa, emprega técnicas de massagem especificas em pontos de meridianos ou áreas do corpo para estimular a circulação de energia nos mesmos, permitindo assim corrigir os desequilíbrios energéticos e fisiológicos, e alcançar efeitos curativos.
Pode ser utilizada quer no adulto quer na criança, e dentro da MTC é técnica preferencialmente utilizada em crianças pelo facto de a inserção de agulhas poder ser extremamente dolorosa para crianças e difícil de executar pois nem sempre conseguem estar quietas durante o tratamento. Na China, os hospitais de pediatria têm smpre a Tui Na Pediátrica associada e com resultados fantásticos, pois a energia da criança é muito mais volátil, conseguindo-se efeitos com maior rapidez e eficácia.
Indicações:
– No adulto: todo o tipo de tensão muscular, distensões, contracturas, espondilopatia cervical, dorsalgia, lombalgia ; cervicalgia, hérnias discais, tendinites, artrite reumatóide, epigastralgia, gastrite, gastroptoses, constipação/gripes, tosse, opressão torácica, hipertensão,insónias, sequelas de AVC, obstipação.
– Na criança: problemas do sistema digestivo (diarreia, cólicas, vómitos), tosse, bronquite, asma, problemas do sono, enurese.